Quero andar com você no recreio. Te dou um gole da minha coca cola, uma bolacha. Só cuidado pra não deixar cair farelo dentro do canudo. Porque eu quero tomar no mesmo canudo que você, pra poder ficar imaginando umas coisas depois. E pra desgraçar completamente a minha cabeça, você pega a bolacha, separa as bandas, e começa a lamber o recheio. Vamos de mãos dadas para a perua, sentamos no fundão da perua por motivos óbvios. Não nos largamos, só na hora em que você me pergunta qual foi a coisa mais bonita que li no dia. Então eu pego seu caderno e escrevo na capa: “eis um que não fará grande carreira no mundo, as emoções o dominam.” Chegamos na sua casa, você joga nossas mochilas na cama, trocamos o halls de boca enquanto toca o João na sua vitrola. Beijos muito loucos que já não miram mais a boca, mas é um passar desgovernado dos lábios por todos os lugares possíveis, tentando o impossível de atravessar a pele, entrar dentro das veias, nadar dentro das suas sinapses. Virar você do avesso, demorando, me certificando que nenhum milímetro de você escape. Meu cheiro impregnado pra você sentir depois que eu for embora. Essa distância que nos separa, você pode estar talvez por aí, quem sabe pode ser o mano que passa de carro vendendo ovos ou laranjas. Vou encomendar 498 dúzias e 876 sacos. Acho que com essa quantidade conseguimos passar nove semanas e 1/2 em cima da cama sem sair pra nada. Envio meus mais sinceros cumprimentos à senhora sua mãe, mulher abençoada com um útero banhado em especiarias da Índia. Queria ser da sua vizinhança, passar aí pra te chamar de madrugada. Grito seu nome no portão, vamos na conveniência comprar cigarro, calor desgraçado, tomamos sorvete, sua boca toda roxa por causa do frutare de uva. Passar aí pra pegar um açúcar emprestado. Mas você sabe, eu sou como as formigas. Primeiro atacamos seu açucareiro. Quando você menos esperar tem formiga na sua cama.

Vou continuar te chamando pelo seu eu lírico. Essa pinta perto da boca é charmosa demais. Gostosa pra caralho. Amo você. Minha especialidade é detectar olhar de tesão e tristeza. Sei que você tem um coração vagabundo nesse peito bossanovano. Meu bem, você não sabe as decepções que te aguardam. Vem aqui, a gente pode tomar um café, um vinho. Se o café for antes do vinho quer dizer que vou passar a tarde e a noite, e se for café depois do vinho quer dizer que vou passar a noite e tomar café da manhã. Percebi que você era elegante para essas coisas quando perguntou se poderia salvar meu contato. Posso salvar seu contato é o novo passa o telefone meu bem, ou o novo chama no probleminha bebê. Posso salvar seu contato é talvez eu te chame, me passa seu telefone é imperativo demais, salva meu contato aí é não sou tão presença assim pra mandar essa. Você pode ser você, e eu já sei que você está fazendo isso. Eu não tenho cabelo, só tem um pouco, mas com um certo empenho acho que dá pra puxar. Quem tem piedade é deus, eu sou da terra, dou tapa na bunda. Você vê porcaria no computador? Às vezes, umas o quê, duas ou três vezes por semestre, só uma passada pra ver se inventaram algo novo. Na minha casa ou na sua? Ganha quem tiver cama de casal. Se você falar isso no pé do meu ouvido eu te passo a rasteira e caio junto. Planos adolescentes devido às atuais questões sanitárias. A gente não vai fazer nada que desabone a OMS. Tudo o que digo tem um lado bonito e um lado safado, aí é a pessoa que escolhe. Eu quero os dois. Interesses plurais em você. Múltiplos. Tanta risada e sorriso que o ouvido trava. Vou fazer um carinho no seu rosto que fui eu quem inventei esse carinho, preciso patentear. É assim: você vai ficar de olhos fechados, talvez naquele momento onde já não sentimos mais nosso corpo, ele está em outra frequência astral, e estamos descansando suspensos em alguma onda invisível. Você deita no meu colo, eu abro minha mão em cima do seu rosto de modo que a ponta dos dedos toque muito de leve por toda a pele. Isso vai dar cócegas insuportáveis. Quando você não aguentar mais, eu passo a palma inteira como se tivesse lavando seu rosto. E você vai sentir uma coisa muito gostosa. E nunca mais vai me esquecer por causa disso. Gozar olhando no olho chega a ser criminoso. Beijar os pés de uma pessoa é adoração, é ser imortalizado na academia brasileira das fodas. Passei o fim de semana com os pernilongos me chupando, quase precisei de uma transfusão, foi isso que eu fiquei fazendo. Você lembra o que eu faço com quem me deixa falando, não lembra? Senti sua falta. Porém jamais confessarei isso. Estou do lado dos pernilongos, adeus. Depois de 11 dias te esperando, só a morte justifica 11 dias sem paixão. Você não me dá mais poesia. Só me dá ironia, culpa e demora. Você pensou em mim algum dia? Alguma coisa boa, assim, uma lembrança qualquer? Tive que dormir na mesma cama que uma pessoa que nem me abraçou pra dormir, e antes de dormir eu chorei e pensei em você. Ninguém é monogâmico, mas a gente finge que é porque não ser dói. Depois de 2 anos ninguém ama mais ninguém. O encanto morre. Você jura? Jura pela alma de João Gilberto? Você não deveria dormir com quem não te abraça. Eu não transo com quem eu não tenho vontade de dormir abraçada.

[Literatura entre colchetes] Instagram: jordanamachado1

[Literatura entre colchetes] Instagram: jordanamachado1